Close
Amor Queer

Amor Queer

Esse é o meu primeiro texto aqui para o Via Palermo. Eu poderia começar me apresentando, eu acho, mas prefiro que me conheçam pouco a pouco através de meus textos. De qualquer forma, quando me propus a escrever este texto, tendo em vista o Dia dos Namorados, logo pensei em escrever sobre “Amor Queer”, então é sobre isso que falarei, mesmo sabendo que minha ideia inicial será moldada enquanto escrevo.

Quando primeiro me imaginei escrevendo sobre “Amor Queer”, pensei no amor gay, no amor lésbico, no amor literalmente LGBT mas depois percebi: “como posso eu ser capaz de retratar o amor gay, se não sou gay, o amor lésbico, se não o sou. Sou LGBT, sim, mas como falar de amores que são tão diferentes do meu?”

Portanto, não falarei do “Amor Queer” como o amor entre pessoas do mesmo sexo, nem sobre o amor bissexual, ou pan, ou assexual, hoje falarei sobre o que percebo como a essência do amor queer.

O Amor Queer não é definido pelo gênero de quem se ama, ou pelo seus genitais, muito menos pela sua sexualidade. O Amor Queer não é algo a ser defendido ou rejeitado, não é um amor que grandes empresas possam usar como bandeira de diversidade e mudança.

É um amor sem amarras, não se limita ao mesquinho amor romântico que vemos em Hollywood. É algo que transcende dois, é amor amigo, é amor que cuida e espera. É amor à vida, à liberdade, ao amar.

O Amor Queer é o amor que somos ensinados a marginalizar. O amor entre dois homens, o poliamor, o amor entre pai e filho, o amor entre amigos, o amor familiar entre pessoas que não possuem laços de sangue, o amor próprio. Amor Queer é comunidade. Então, comemore o Amor Queer, ame amar. Não se negue amar, nunca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Close