Close
Nunca mais vai chover

Nunca mais vai chover

Não chove faz uns quarenta dias. E mesmo assim o sol não aparece todos dias também.

Ora, estamos na capital mais fria do país, o que se pode esperar? Calor em agosto??!

Hoje a previsão deu certo, acordei abri a cortina, como faço ritualmente, todo santo dia. O vidro da janela estava embaçado, a grama molhada, e a chuva caindo. Eu me pergunto, agora é hora de agradecer ou posso reclamar?

Agradecer pela chuva, que estava precisando (eu e meu nariz entupido – Sinusite), ou reclamar por acordar antes do sol nascer, e sair na chuva? Dúvida cruel nesses primeiros instantes.

Decidi não reclamar, e sorrir pra vida e encarar. Busãolotado. Janelas fechadas. E guarda-chuvas se trombando. Se bem que mesmo reclamando, teria que encarar tudo isso mesmo.

Dei bom dia para todos que encontro diariamente, motorista, cobrador, moça que pega o mesmo ônibus comigo, ah lógico menos para o meu crush. Hoje o desgramado, sentou no banco de costas para mim. E aí? Fico puta da cara, ou nem ligo? Nem liguei.

Sorri para o velhinho que desce no mesmo ponto que eu. Abri meu lindo guarda-chuva amarelo. E continuei firme na decisão de fazer um dia bom.

Inclusive acenei e sorri para um casal desconhecido na rua, embora acho que eles apenas estavam sinalizando que estavam me dando a vez para atrasar a rua entre os carros. Enfim, dia de muito trabalho, dia de resolver problemas e ajudar aos outros. Ganhei o dia quando a moça da limpeza, disse que eu era um anjo, por ter ajudado numa questão burocrática que ela não sabia. Fiz um dia bom.

Decidida. Me fiz de doida, ignorei os problemas. E sorri, sorri mesmo, sem dó, sem medo de gastar.

Já ganhei dois abraços e vários conselhos, e incontáveis sorrisos de volta.

Tá valendo a pena. Decisão certa mocinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Close