Close
O MMA em Curitiba e no Brasil

O MMA em Curitiba e no Brasil

Especial: Fernanda Umlauf, Fernando Fogaça e Flavia Snoeijer

O MMA é a sigla para mixed martial arts ou artes marciais mistas, em português. A modalidade permite golpes de lutas em pé e técnicas de luta no chão. O esporte praticado atualmente teve inicio com as exibições dos famosos ‘vale tudo’ no Brasil e o shootwrestling no Japão.

Naviraí. Sete letras e uma cidade bem pequenininha localizada no Mato Grosso do Sul, a trezentos e cinquenta e cinco quilômetros da capital Campo Grande. Luan Chagas, 23 anos, nasceu e cresceu na pequena cidade do centro-oeste brasileiro, onde trabalhou na oficina do pai como mecânico, e posteriormente arrumou emprego em uma usina, exercendo a mesma profissão que aprendeu em casa.

E foi essa cidade do centro-oeste brasileiro que Luan deixou para trás quando decidiu se mudar para o estado vizinho a fim de completar os estudos e prestar o vestibular para dar início a uma carreira. Quando concluiu o ensino médio regular, Luan se viu diante de uma escolha normal, que qualquer outro jovem em idade escolar precisa fazer. A princípio, duas opções distintas: Psicologia ou Direito. Mas o então garoto recém-saído da escola, tinha uma outra paixão: a luta. E por mais que quisesse conciliar os estudos com o esporte, Luan não conseguia, porque precisava necessariamente trabalhar e escolher entre o curso pré-vestibular ou a vida na luta. Mas a decisão foi simples para Luan, porque a única certeza que ele tinha era que queria se tornar um lutador profissional de MMA.

Foi essencial para carreira do lutador treinar em Curitiba. A capital paraense foi pioneira na revelação de grandes nomes do MMA brasileiro e para o atleta, isso reflete o potencial da cidade em relevar diversos talentos. “Isso foi um dos fatores que me motivou bastante. Eu pensei ‘se os caras saíram daqui, eu também vou sair’.”

A CARREIRA PROFISSIONAL DE LUAN CHAGAS

Foi então que há cinco anos Luan realizou a sua primeira luta profissional. Em junho de 2012, o atleta participou de um evento de pequeno porte chamado ‘Face the Danger 3’ em uma academia do bairro Cabral, em Curitiba. Lutou contra Alex Morales e obteve sua primeira vitória estreando no MMA profissional do Brasil. Em seguida participou de outros eventos como o Striker’s House Cup e Adventure Fighters Tournament. Em maio de 2013, o atleta sofreu sua primeira derrota para o brasileiro Lorival Lourenço Júnior, quando foi finalizado em um mata-leão no Gladiator Combat Fight. Nos anos seguintes, o lutador continuou participando de diversos eventos nacionais da modalidade, até que em 2016, Luan recebeu um convite para estrear no maior evento mundial de MMA atualmente: o UFC. O sul matogrossensse estrearia na edição de número 198 do evento, primeira edição realizada na capital paranaense: “Estrear no UFC foi um sonho realizado, se eu tivesse optado pelos estudos, isso seria como se fosse uma formatura. Lutar em Curitiba, na Arena da Baixada para mais de cinquenta mil pessoas foi algo incrível.” Na ocasião, o atleta enfrentou o paulista e tetra-campeão mundial de jiu-jitsu, Sérginho Moraes, o resultado da luta foi um empate dividido.

Luan Chagas no UFC 198, em Curitiba. O resultado da luta foi um emapte dividido. Crédito da foto: Globo Esporte/Canal Combate.

“Eu sempre coloquei na cabeça que se não fosse para ser o melhor do mundo, eu nem faria”.

Luan acumula em sua carreira profissional dezessete lutas, com duas derrotas, um empate e catorze vitórias. Lutou em uma edição do UFC Fight Night em setembro de 2016, sendo finalizado em um mata-leão pelo capixaba Erick Silva. “Eu estava acostumado em um ritmo, lutar no Brasil, em eventos nacionais, e quando eu entrei no UFC o nível subiu drasticamente, foi algo absurdo. Aí eu parei e pensei ‘eu acho que tem que melhorar alguma coisa aí’. E essas duas lutas serviram de muito aprendizado e experiência, para que agora na terceira luta eu possa voltar mais forte” conta o lutador que revelou já estar negociando mais uma luta no evento.

Para o futuro, o atleta não pensa em outra coisa. A meta é o cinturão da categoria meio-médio do UFC, que vai até os 77 quilos. “Eu sempre coloquei na cabeça que se não fosse para ser o melhor do mundo, eu nem faria.”

A LUTA: ESCOLHA DE UMA VIDA

Luan Chagas é uma promessa da luta para o Brasil. Almeja chegar ao pico mais alto da categoria. Já Renato Rastas é um atleta mais experiente, e mesmo com mais idade que Luan, ainda quer atuar por mais algum tempo no mundo da luta. Confira o relato dos atletas.


Imagens de Fernanda Umlauf, Fernando Fogaça e Flavia Snoeijer. Edição de Flavia Snoeijer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Close